Monday, 24 September 2007

Anti-Terror Law. Não está a funcionar, Sr Gordon Brown!

Hoje tive medo!
Percebi na pele que as leis anti-terrorismo e o alerta constante que Londres (e os londrinos) supostamente vivem, não existe!.
Era quase 1 da tarde quando a recepcionista do meu emprego alertou para todo o escritório a existência de duas mochilas cuidadosamente "esquecidas" do outro lado da rua, junto à porta da Paramount Pictures.
Para quem não conhece a zona do Soho, as ruas são estreitas e um carro não passa se outro estiver estacionado meio em cima do passeio. Por isso, o facto das mochilas estarem do outro lado da rua significava exactamente o mesmo que estarem mesmo na nossa porta.
Uma das minhas colegas discou imediatamente o "999" e começou a descrever ao polícia de serviço o que se passava. Cinco minutos depois ainda estava ao telefone, a responder a perguntar inúteis sobre quantas pessoas trabalhavam no escritório, quantas pessoas tinham visto as malas, etc...
As restantes colegas já tinham saido porta fora, escondendo-se na esquina um pouco mais acima, alheias ao facto de que, se realmente fosse uma bomba, de pouco servia estarem alguns metros longe...
Enquanto a minha colega falava com os polícias, eu fiquei a observar a quantidade de gente que passava mesmo ao lado das mochilas, nem se dignando a olhar ou nem se perguntando o que estariam a fazer ali duas mochilas encostadas, parecendo abandonadas...
Um varredor passou a fazer o seu trabalho e despreocupadamente varreu junto das mochilas, sem achar estranho elas estarem ali...
Pouco tempo depois (devem ter passado uns 12 minutos desde o alerta da recepcionista) chegou um carro da polícia, sem as sirenes a funcionar, com dois homens dentro. Parou junto das mochilas e um deles saiu do carro e calmamente dirigiu-se a elas, debruçou-se e abrir normalmente uma delas, como se dele próprio se tratasse.
De repente veio o mendigo da zona a correr e a reclamar com o polícia por estar a tentar "roubar-lhe" as mochilas. O polícia largou-as e calmamente regressou ao carro e seguiram viagem.
Nem uma palavra dirigiram ao mendigo por ter ali deixado aquilo...

Hoje tive medo. Mas não foi medo de uma explosão que me podia ter morto. Recuso-me a ter de olhar sorrateiramente para outras pessoas que carregam malas, sempre a achar que as vão fazer explodir no comboio/autocarro/comboio onde sigo...

Hoje tive medo da indiferença com que se lida com um potencial foco de alarme...

Hoje tive medo da polícia que não se preocupa em isolar a àrea nem chamar os peritos para, eles sim, abrirem o fecho de uma mala que foi largada junto a uma empresa americana em pleno centro social de Londres...

Hoje tive medo da quantidade de pessoas que passaram por dois objectos abandonados como se eles nem sequer existisse...

Hoje tive medo de ninguém ter medo.

3 comments:

Ana said...

Hum, preferia nao ter lido este teu post. Preferia ter continuado a acreditar que estou a viver numa cidade altamente segura e que as probabilidades de um 7/7 voltar a acontecer serem escassas. Eles nao ligam a duas mochilas abandonadas no meio da rua no centro de Londres, mas preocupam-se tanto que so se possa levar uma mala de mao pela seguranca no aeroporto e termos a maquiagem num saco de plastico. Um bocado contraditorio nao?

http://tugaemlondres.blogs.sapo.pt

Afrika said...

Bem, agora sei por que Londres nunca me despertou grande interesse... A memoria humana e' curta, logo as nossas rotinas diárias tornam-se banais!
Beijinho.
Medo e' meio irmão da seguranca

Afrika said...

Sim, terei que escrever sobre isso e muito mais... a razão pela qual estas no meu e' simples és um de nos dos tugas!
Encontrei-te por acaso... e senti logo o apelo da saudade e da solidariedade... (profundo... ainda ganho um PULITZER! lol)
Fica a vontade, de passeares pelo meu espaco... e partilhar um pouco do EU!
Fica bem, beijo