Tuesday, 14 August 2007

O Verão apareceu... e depressa desapareceu!

Esta semana que passou Londres foi benzido com excelentes dias de Verão, com as temperaturas a subirem aos trintas (sim, eu sei que em Portugal estão nos quarentas, mas os trintas aqui são já abafados qb...).
O fim de semana foi aguardado com optimismo e sábado não decepcionou. Já o domingo acordou molhado, mas lá se compôs para a tarde.
Infelizmente hoje não pára de chover, embora digam que sexta logo melhora.

Aproveitei o sábado para pôr em dia as exposições.

Fui ao The Hospital ver "Warhol vs Banksy" e dei um salto ali ao lado à Elms Lesters para analisar as novas obras do Adam Neate.
Devo dizer que a primeira foi uma enorme decepção. Se calhar a culpa é minha, porque ia à espera de mais, mas talvez não devesse! A verdade é que sou um adepto fervoroso de Andy Warhol e já vi tantos trabalhos em museus e retrospectivas que passaram por Lisboa, por Serralves, em Paris e aqui na Tate Modern, que se calhar poucas obras dele me iriam fazer vibrar. De Banksy nem vale a pena falar muito. Acompanho o trabalho de rua dele desde que começou, fui a todas as exposições com obras dele aqui em Londres nos últimos 3 anos e por isso nada ou quase nada me podia surpreender...

E na verdade nada me surpreendeu... era um corredor e uma sala com poucos quadros, espalhados por paredes brancas e sem vida. De Warhol muito pouco, na maioria desenhos a lapis... de Banksy nada novo... Enfim...
Já o trabalho de Adam Neate continua a surpreender-me pela positiva. Já tinha visto algumas obras dele numa colectiva no mesmo local, em que criou personagens a partir de caixas de cartão que apanhou na rua, mas esta exposição em nome proprio possibilitou ver muito mais.



O Adam é um visionário que continua a quebrar regras artisticas, investindo em materiais pouco usuais, como lixo apanhado em contentores e criando paisagens urbanas e os tais "personagens" da actualidade...



Quando vejo Portugal investir rios de dinheiro sempre nas mesmas pessoas do mundo da cultura, e sabendo eu da qualidade de muitos artistas urbanos que povoam os quatro cantos do país, só me apetece rir para não chorar...

Quando é que vamos apostar em quem devemos? Quantos de nós conseguimos dizer o nome de pelo menos 3 artistas plásticos portugueses vivos, sem ser a Paula Rego, o Cargaleiro e o José de Guimarães? E quantos artistas com menos de 30 anos são apoiados pelo Ministério da Cultura?

Um país deve reger a sua riqueza através da cultura que transmite ao Mundo...

O som de hoje nos meus headfones é:

Mark Ronson
"Version"
2007, Columbia
Rock/Pop/R'n'B
Excelente regresso do DJ londrino residente em NY, com o revisitar de sucessos de vendas do ano passado. Saliento a versão de "Stop Me" dos The Smiths e "Oh MY God" dos Kaiser Chiefs, com a melhor faixa de 2007 para a pseudo-rebelde Lily Alen.
Brilhante!

No comments: